Maria Grampinho


Maria Grampinho

Personagem da Cidade de Goiás, negra, andarilha, criou moda, fez seu estilo. Seu nome, Maria da Purificação. Mas, era pelo apelido de Maria Grampinho que todos a conheciam, pois usava mais de cem grampos nos cabelos. Ela dormia bem ao lado de uma bica d’água. Era uma mulher simples que fazia as roupas que usava. A trouxa de vestidos ainda continua bem ali, no mesmo lugar. No quarto acima vivia a escritora e amiga Cora Coralina.

Com lindas bonecas, a história que foi escrita por Diane Valdez, “O que teria na trouxa de Maria?” é contada e recontada pelo grupo de contadores de histórias, e a cada dia vai nos encantando mais.

Falar desta personagem é trazer à memória nossas origens: A identidade do povo goiano.

Obra trabalhada pelo Grupo de Contação de Histórias:

O que teria na trouxa de Maria?

Diane Valdez


Sinopse: Maria Grampinho, que dormia no porão da casa da poetisa Cora Coralina e, durante o dia, perambulava pelas ruas e pelos becos da Cidade de Goiás, hoje, Patrimônio Cultural da Humanidade, é a personagem principal dessa obra.

Com seus muitos grampos no cabelo e inúmeros botões pregados nas várias saias, e sua enorme trouxa na cabeça, Maria Grampinho se destacava entre as várias figuras populares da cidade. Tomando como foco esta figura, a autora produz uma narrativa repleta de parlendas regionais, de alusões às ruas cobertas de pedras, às festas tradicionais, aos costumes que existiam (alguns ainda existentes) na primeira capital de Goiás.

Em sintonia com o espírito do texto, a ilustração destaca não só a composição da personagem, mas também os principais monumentos históricos da cidade, a singularidade de sua arquitetura, com ruas estreitas e becos recobertos por pedras centenárias.

Os leitores da história, ao final da narrativa, sabem que na trouxa de Maria cabia muita coisa. Mas ainda resta a missão de responder à pergunta: “O que teria na trouxa de Maria?”


10 respostas em “Maria Grampinho

  1. Meninas, Eurim, Célia e Cida…
    Que linda apresentação!
    Muito obrigada mais uma vez…
    Com carinho e admiração
    Diane

    Curtir

  2. Já são 2 horas da manhã e estou encantada com essa “Maria Grampinho” estou com as idéias fervendo em minha cabeça, já vou levá-las para a escola amanhã e montarei uma Mostra Cultural sobre ela, (em uma das salas). Gostaria de colaboração.
    bjks

    Curtir

  3. Aninha e suas pedras

    Não te deixes destruir…
    Ajuntando novas pedras
    e construindo novos poemas.
    Recria tua vida, sempre, sempre.
    Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
    Faz de tua vida mesquinha
    um poema.
    E viverás no coração dos jovens
    e na memória das gerações que hão de vir.
    Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
    Toma a tua parte.
    Vem a estas páginas
    e não entraves seu uso
    aos que têm sede.

    Cora Coralina (Outubro, 1981)

    Curtir

  4. O Cântico da Terra

    Eu sou a terra, eu sou a vida.
    Do meu barro primeiro veio o homem.
    De mim veio a mulher e veio o amor.
    Veio a árvore, veio a fonte.
    Vem o fruto e vem a flor.

    Eu sou a fonte original de toda vida.
    Sou o chão que se prende à tua casa.
    Sou a telha da coberta de teu lar.
    A mina constante de teu poço.
    Sou a espiga generosa de teu gado
    e certeza tranqüila ao teu esforço.
    Sou a razão de tua vida.
    De mim vieste pela mão do Criador,
    e a mim tu voltarás no fim da lida.
    Só em mim acharás descanso e Paz.

    Eu sou a grande Mãe Universal.
    Tua filha, tua noiva e desposada.
    A mulher e o ventre que fecundas.
    Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor.

    A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu.
    Teu arado, tua foice, teu machado.
    O berço pequenino de teu filho.
    O algodão de tua veste
    e o pão de tua casa.

    E um dia bem distante
    a mim tu voltarás.
    E no canteiro materno de meu seio
    tranqüilo dormirás.

    Plantemos a roça.
    Lavremos a gleba.
    Cuidemos do ninho,
    do gado e da tulha.
    Fartura teremos
    e donos de sítio
    felizes seremos.

    Cora Coralina

    Curtir

  5. Gostaria muito de levar essa apresentação paras crianças do cmei onde sou coordenadora assistirem. O que devo fazer para conseguir que as meninas façam a presentação lá?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s